terça-feira, 30 de abril de 2013

Nota oficial do Arcebispo da Paraíba, Dom Aldo di Cillo Pagotto, Sobre a aprovação da união homossexual pelo TJ/PB


1. A Constituição Federal, no Cap. VII, Art. 226 § 3º, reconhece a proteção do Estado à união estável entre homem e mulher como entidade familiar. A Lei deve facilitar sua conversão em casamento. O mesmo Art. 226 § 5º reza que os direitos e deveres referentes à sociedade conjugal são exercidos igualmente pelo homem e mulher.

2. O Código Civil, no Livro IV, Art. 1511, reza que o casamento estabelece comunhão plena de vida com base na igualdade de direitos e deveres dos cônjuges. O Art. 1514 diz que o casamento realiza-se no momento em que o homem e a mulher manifestam a sua vontade de estabelecer vínculo conjugal, perante o juiz, que os declara casados.

3. O Direito da Igreja Católica estabelece pelo Código de Direito Canônico (Cânon 1055 § 1) que o pacto matrimonial, pelo qual o homem e a mulher constituem entre si o consórcio de toda a vida, por sua índole natural, é ordenado ao bem dos cônjuges e à geração e educação da prole, entre batizados, e foi elevado à dignidade de sacramento, por Cristo Senhor.

4. Sobre as chamadas uniões homoafetivas, na verdade denominam-se de uniões entre pessoas do mesmo sexo ou uniões homossexuais. O Estado, segundo a Constituição Federal e a Igreja, segundo a Palavra de Deus, a Tradição e o Magistério, não reconhece sua validade e legitimidade, equiparável à formação de uma Família, porquanto claudicam as condições essenciais para a sua finalidade, ou seja, a união fecunda do homem e da mulher, tal que sejam gerados filhos, seguidamente educados e adequadamente formados em ambiente familiar.

5. A respeito de pessoas de condição homossexual, a Igreja entende a complexidade dessa fenomenologia, que se reveste de inúmeras formas ao longo dos séculos e das civilizações, em contextos culturais variáveis. Apoiando-se nas Sagradas Escrituras e na Tradição, a Igreja sempre declarou que os atos que queiram legitimar a prática do homossexualismo são intrinsecamente desordenados, porquanto contrariam a lei e a ordem da natureza, pelo fato de fecharem o ato afetivo-sexual à transmissão da vida. Não procedem, pois, à complementaridade efetiva e sexual verdadeira, e por isso, em caso algum, podem ser aprovados.

6. Um número não negligenciável de homens e de mulheres apresenta tendências homossexuais inatas, pois não são eles que escolhem essa condição. Para a maioria essa condição constitui-se uma provação. Devem ser acolhidos com respeito, compaixão e delicadeza, evitando-se para com eles todo sinal de discriminação injusta (Cf. Catecismo da Igreja Católica, NN. 2357 e 2358).

7. Doutrinadores militantes da causa homossexual projetam o seu próprio medo e ambiguidades na bandeira da homofobia. O mecanismo habitual da fobia é usado como bandeira homossexual, projetando sobre os heterossexuais e sobre toda a sociedade a angústia de suas pulsões interiores não resolvidas. Ao absorver o desapontamento ou desaprovação do mundo exterior contrário ao comportamento homossexual, vive-se uma contradição interior angustiante.

8. Dessa forma, a diversidade sexual mobiliza-se através de siglas, abrigando grupos de pressão, visualizando o fantasma de seus perseguidores por todo canto. Comparam-se às minorias excluídas da sociedade, como vítimas do racismo e preconceitos. Sua mobilização defende uma bandeira política, criando o delito da homofobia como crime de repressão que deva ser penalizada.

9. A bandeira “gay” ganha foro de direitos em várias instâncias jurídicas de alguns países e se constitui com reivindicações jurídicas, elevando sua causa à proteção legal e à promoção ostensiva do homossexualismo com todos os direitos civis garantidos. Já não se trata dos direitos que toda pessoa possui e sim a causa do homossexualismo. Ora, não obstante as condições heterossexuais ou homossexuais, todos, como cidadãos e cidadãs, somos possuidores de direitos e também de deveres perante o Estado.

10. Pela Constituição Federal, quaisquer pessoas, independentemente de sua vida particular referente às questões afetivas e sexuais, possuem direitos de estabelecer os meios para sua sobrevivência digna, em particular ou em parceria. O que está em jogo na causa de gênero e da diversidade sexual é a imposição da união homossexual equiparável à estabilidade da instituição da Família.

11. Segue-se daí a estratégia das uniões homossexuais corroborarem para a relativização e esvaziamento da instituição familiar. A Igreja considera isso como suicídio da lei natural e dos vínculos sociais que a Família estabelece como célula-mãe da sociedade.

12. Grupos de pressão privilegiam o subjetivismo de sua opção sexual escudando-a na égide dos direitos humanos, impondo-se à sociedade e ao Estado, exigindo o que é irreformável: a lei natural e positiva, estabelecida pelo Criador.

13. A vocação para o matrimônio está inscrita na própria natureza do homem e da mulher, conforme saíram das mãos do Criador. “Um homem deixa seu pai e sua mãe, une-se a sua mulher e eles se tornam uma só carne” (Cf. Gen. 2,24), de modo que já não são dois, mas uma só carne (Mt. 19,6).

João Pessoa (PB), 30 de abril de 2013.

+ Aldo di Cillo Pagotto, sss
Arcebispo Metropolitano da Paraíba 

Fonte: Arcebispado

Bento XVI volta para o Vaticano nesta quinta-feira



Nesta quinta-feira, 2, o Papa Emérito Bento XVI voltará para o Vaticano, onde habitará, como anunciado, no conventoMater Ecclesiae.

O retorno de Bento XVI será de helicóptero por volta de 16h30-17h (horário local, 21h30-22h em Brasília). Ele partirá da residência pontifícia de Castel Gandolfo, onde tem residido nos últimos dois meses.

A notícia foi confirmada aos meios de comunicação pelo diretor da Salta de Imprensa da Santa Sé, padre Federico Lombardi. Respondendo aos jornalistas que queriam saber sobre a saúde de Bento XVI, o porta-voz vaticano afirmou: "É um homem ancião, debilitado pela idade, mas não tem nenhuma doença".

Bento XVI anunciou sua renúncia como Bispo de Roma em 11 de fevereiro de 2013 e renunciou oficialmente no dia 28 de fevereiro do mesmo ano. Após dois dias de Conclave, os Cardeais votantes elegeram o novo Papa, Cardeal Jorge Mario Bergoglio, o Papa Francisco. 


Fonte: Rádio Vaicano

"Diga aos membros da Renovação Carismática que eu os amo muito"

Dom Rino Fisichella, presidente do Pontifício Conselho para a Promoção da Nova Evangelização, presidiu ontem a missa que encerrou o segundo dia da 36ª Assembleia Nacional italiana da Renovação Carismática, em Rimini.

Antes da missa, Fisichella transmitiu uma mensagem inesperada, que, literalmente, fez explodir de alegria os quinze mil presentes. Após o sinal da cruz, ele dirigiu a todos a saudação afetuosa do papa Francisco. "Antes de começar esta celebração, eu trago a vocês uma saudação. Esta manhã, antes de sair, eu encontrei o papa Francisco e lhe disse: Santo Padre, vou a Rimini, onde estão reunidos milhares e milhares de fiéis da Renovação Carismática, homens, mulheres, jovens. O papa, com um grande sorriso, me disse: Diga a eles que eu os amo muito. E como se não bastasse, antes de se despedir ele acrescentou: Escute, diga a eles que eu os amo muito porque na Argentina eu era o responsável. E por isso eu os amo muito".

Em sua homilia, Fisichella dedicou palavras de afeto aos participantes do grande encontro, agradecendo-lhes "pela grande obra de nova evangelização que já estão realizando há um longo tempo", mas que "se abre diante do esforço de todos através do Plano Nacional para a Nova Evangelização, que passa a ser a bússola para trabalhar e agir no coração da Igreja".

Em sua pregação breve e concreta, dom Rino focou em seguida no "trabalho" da nova evangelização e na figura de Jesus como "o mestre que nos acompanha e que não nos abandona, num mundo em que tantas vezes o cristão tem que andar na contramão".

Ele também lembrou que Jesus é a "revelação que indica o caminho que Deus sempre planejou para nós". E acrescentou: “A pergunta de Tomás é a nossa pergunta: Senhor, Tu és o caminho, mas como podemos conhecê-lo?".

"O segredo da nossa existência, a realização plena da felicidade, vem quando aceitamos o plano de Deus para nós e o colocamos em prática. Mas nem sempre o que o coração entende chega a uma realização plena e concreta".

Uma "realização", enfatizou o bispo, que só se encontra em Cristo, que nunca nos deixa sozinhos: "Ele é a via para sabermos quem somos, de onde viemos e para onde vamos. Ele nos mostra o objetivo". A nova evangelização, portanto, "nos chama a fazer da fé a nossa certeza, a construir a vida em Jesus Cristo".

O testemunho, por isso, disse o presidente do Pontifício Conselho para a Nova Evangelização, "não pode negligenciar a proclamação da esperança da ressurreição, que contrasta com a tendência da cultura da morte, na qual a falta de Deus remove toda perspectiva e direção futura. Temos que nos tornar peregrinos: o objetivo é Ele, Jesus. É com este objetivo que temos que nos reunir".

Fonte: Zenit

segunda-feira, 29 de abril de 2013

Conheça o milagre que levou Nhá Chica à beatificação

Ana Lúcia  diante da imagem de Nossa Senhora e  Nhá Chica
O milagre que permitiu a beatificação de Francisca de Paula de Jesus, conhecida como Nhá Chica, foi a cura de um grave problema de nascença no coração da professora aposentada Ana Lúcia Meirelles Leite. 

A miraculada, como é chamada a pessoa que recebe um milagre, estará na cerimônia que tornará Nhá Chica beata no dia 4 de maio em Baependi (MG) e revela que a emoção é grande. “Nossa Senhora! A emoção está aflorando a toda hora. Eu não sei como vou aguentar!" A Missa de Beatificação de Nhá Chica será transmitida ao vivo pela TV Canção Nova, no dia 4 de maio, às 15 horas.

A expectativa é compreensível. O diagnóstico de Ana Lúcia foi descoberto em 1995. A professora teve uma isquemia ocular, e ao investigarem as causas, os médicos descobriram o problema no coração. "O sangue passava por caminhos errados, causando hipertensão pulmonar, fadiga e cansaço. Eu precisava operar imediatamente", explica a aposentada. 

Médicos de Varginha (MG), Belo Horizonte (MG) e São Paulo a atenderam e foram unânimes em indicar a cirurgia imediatamente. Dona Ana Lúcia conta que rezou, pedindo à Nhá Chica que intervisse em seu caso. Três dias antes da data marcada para a cirurgia, ela teve febre e não pôde operar. Seis meses se passaram e ela se sentia cada vez melhor. 

Somente depois desse tempo, Ana Lúcia voltou aos médicos para fazer novos exames. Um dos exames que normalmente era feito em 40 minutos, naquele dia, levou duas horas. “Eu entubada, só rezava Salve Rainha, Ave Maria e pedia à Nhá Chica que olhasse por mim. Acabado o exame, o médico me pede para aguardar um minuto, desesperei, mas em momento nenhum deixei de acreditar na intervenção de Nhá Chica", recorda.

O médico estava impressionado. Ana Lúcia conta que após o exame, ele logo a chamou e lhe perguntou se ela continuaria afirmando que não havia sido operada. “Eu disse assim: doutor eu ia ser operada, três dias antes eu tive febre e somente hoje volto para marcar a nova cirurgia. Então ele me falou: o que a senhora ia fazer está feito, muito bem feito, alguém costurou isso aí para a senhora. A senhora fez uma cirurgia espiritual? Pediu a alguém? E eu falei: pedi sim doutor, pedi à santa que deve ser beatificada logo, perto da minha cidade. E ele disse: pois a senhora vai agradecer, a medicina e a ciência não explicam o que houve com a senhora. A senhora está ótima”.

Quase 20 anos já se passaram, e o problema não voltou. Médicos, teólogos e cardeais analisaram o caso no Vaticano, e não foi encontrada explicação científica. 

Ana Lúcia diz que não sabe explicar porque foi “escolhida” para receber esse milagre, mas agradece, e em retribuição testemunha a devoção à Nhá Chica, por onde passa. “Falo com todos, ajudo a todos que precisam e que estejam na mesma situação, desesperados. Eu tento pedir a eles que façam a mesma oração, que peçam à Nhá Chica com a mesma fé que eu pedi”. 

Depois da beatificação de Nhá Chica, o último passo, é a canonização, ou seja, ser declara santa pela Igreja. Para o processo de canonização será preciso a comprovação de um outro milagre. Mas para Ana Lúcia a “amiga” que a curou já é considerada santa há muito tempo. “Minha vó era amiga de Nhá Chica. Viveu na mesma época que ela, então em casa a gente já falava muito em Nhá Chica, desde criança nós ouvíamos falar de Nhá Chica e dos seus milagres. Para nós Nhá Chica já era santa há mais de 100 anos.”

Fonte: CN

domingo, 28 de abril de 2013

EJC paroquial realizou sua II Encontréia neste domingo.

FOTO: REDE SOCIAL FACEBOOK

Neste domingo (28) no Colégio Estadual Ivan Bichara Sobreira, foi realizada a segunda encontréia do EJC (Encontro de Jovens com Cristo) que teve como tema “Eis-me aqui, envia – me” (Is 6,8). O encontro teve a participação de outros grupos de EJC da cidades de: Jacaraú, Duas Estradas, Serra da Raiz, Guarabira, Belém e Caiçara, também contou com muita música, louvor, oração e partilha da palavra de Deus. Como todo grande evento que leve o povo a Deus a rezar e a encontra-se com Ele, assim foi o nosso segundo encontro, principalmente por que se reúnem apenas jovens. A nossa II Encontréia foi a nossa primeira gota de combustível para o motor EJC funcionar e motivar os componentes para o nosso evento principal que será em meados do fim outubro sendo o terceiro Encontro de Jovens com Cristo, disse Hallef Nacimento, membro do EJC. 

O QUE É O EJC? 

O encontro de jovens com Cristo (EJC) é o ponto de partida para a formação de uma comunidade de jovens voltada para o exercício de uma vida cristã. É o primeiro anúncio ao jovem de que Jesus Cristo é o Salvador. É o instrumento através do qual o jovem deve adquirir conhecimento do sentimento de que: 

- A sociedade precisa ser salva.
- Ele próprio precisa ser salvo.
- A Fé e a Igreja são os instrumentos dessa salvação.

O EJC tem como motivação única levar Cristo aos jovens, dando a eles oportunidade de verem e sentirem o mundo sob o prisma do amor de Deus.

O Encontro de Jovens com Cristo não se resume nas atividades de três dias, pois o importante é o jovem querer viver e agir como Jesus propôs aos seus seguidores. O EJC é uma atividade cuja dinâmica se inicia meses antes do Encontro e se estende, através do Pós-Encontro, até o engajamento total do jovem em uma comunidade cristã: 

“A Igreja evangelizadora faz um veemente apelo para que os jovens nela busquem o lugar de sua comunhão com Deus e os homens, a fim de construir A CIVILIZAÇÃO DO AMOR e edificar a paz na justiça.” (Puebla, 1979).


Com Henrique Florêncio
Pastoral da Comunicação Paroquial

Francisco aos jovens: "Arrisquem a vida por grandes ideais"


Neste domingo, 28, Papa Francisco presidiu uma missa na qual crismou 44 jovens dos cinco continentes. A celebração se insere na programação organizada pelo Pontifício Conselho para a Nova Evangelização no âmbito do Ano da Fé. O forte sol e calor desta manhã de primavera contribuíram e a Praça São Pedro ficou tomada por 100 mil fiéis, em grande maioria, jovens.

Na homilia, o Papa propôs à reflexão três pensamentos, simples e breves, inspirados nas leituras do dia.

O primeiro partiu da visão de São João da ação do Espírito Santo, que ao trazer-nos a novidade de Deus, vem a nós e faz novas todas as coisas: transforma-nos e através de nós, quer transformar também o mundo onde vivemos. Prosseguindo, Francisco exortou:

“Abramos-Lhe a porta, façamo-nos guiar por Ele, deixemos que a ação contínua de Deus nos torne homens e mulheres novos, animados pelo amor de Deus. Como seria belo se cada um de vós pudesse, ao fim do dia, dizer: Hoje na escola, em casa, no trabalho, guiado por Deus, realizei um gesto de amor por um colega meu, pelos meus pais, por um idoso”.

A novidade de Deus, disse, “não é como as inovações do mundo, que são todas provisórias, passam e procuramos outras sem cessar. A novidade que Deus dá à nossa vida é definitiva; e não apenas no futuro quando estivermos com Ele, mas já hoje”.

O segundo pensamento se inspirou na Primeira Leitura, quando Paulo e Barnabé afirmam que “temos de sofrer muitas tribulações para entrarmos no Reino de Deus”.

“O caminho da Igreja e também o nosso caminho pessoal de cristãos não são sempre fáceis”, disse, advertindo que “seguir o Senhor, deixar que o seu Espírito transforme nossas zonas sombrias, nossos comportamentos em desacordo com Deus e lave os nossos pecados é um caminho que encontra obstáculos fora de nós, no mundo onde vivemos e que muitas vezes não nos compreende”.

“Mas as dificuldades e tribulações fazem parte da estrada para chegar à glória de Deus” - concluiu.

No último ponto, Francisco convidou todos, especialmente os crismandos e crismandas, a permanecerem firmes no caminho da fé, com segura esperança no Senhor:

“Este é o segredo do nosso caminho. Ele nos dá coragem para ir contra a corrente: faz bem ao coração, mas é preciso coragem!”. O Papa ressalvou que isto é verdade principalmente quando nos sentimos pobres, fracos ou pecadores, porque Deus proporciona força à nossa fraqueza, riqueza à nossa pobreza, conversão ao nosso pecado.

Francisco terminou a homilia usando a mesma expressão de Papa Wojtyla, em 1978:

“Abramos – escancaremos - a porta da nossa vida à novidade de Deus que nos dá o Espírito Santo, para que nos transforme, nos torne fortes nas tribulações, reforce a nossa união com o Senhor, o nosso permanecer firmes Nele: aqui está a verdadeira alegria”.

Dirigindo-se ainda aos jovens, acrescentou: “Joguem a vida por grandes ideais. Apostem em grandes ideais, em coisas grandes; não fomos escolhidos pelo Senhor para ‘coisinhas pequenas’, mas para coisas grandes!”.

Após a homilia, os jovens se aproximaram do Pontífice para o rito da Confirmação. O brasileiro Victor Chaves Costa Lima, de 16 anos, foi um dos que nesta cerimônia, expressaram a sua plena e livre decisão de aderir à fé batismal.
 
Fonte: Rádio Vaticano

quinta-feira, 25 de abril de 2013

Papa aos jovens: Não enterrem os talentos!


O Papa Francisco fez hoje uma enérgica exortação aos jovens presentes na Praça de São Pedro e com eles aos do mundo inteiro, alentando-os a não enterrar seus talentos e a sonhar sempre com grandes ideais que alargam o coração. 

Refletindo na parábola dos talentos, o Santo Padre disse que hoje em dia, em meio da crise, "é importante não se fechar em si mesmo, enterrando o próprio talento, as próprias riquezas espirituais, intelectuais, materiais, tudo aquilo que o Senhor nos deu, mas abrir-se, ser solidários, ser atentos ao outro". 

"Na Praça, vi que há muitos jovens: é verdade isto? Há muitos jovens? Onde estão? A vocês, que estão no início do caminho da vida, pergunto: já pensaram nos talentos que Deus deu a vocês? Já pensaram em como podem colocá-los a serviços dos outros? Não enterrem os talentos! Apostem em grandes ideais, aqueles ideais que alargam o coração, aqueles ideais de serviço que tornam fecundos os vossos talentos". 

O Papa disse também que "a vida não é dada para que a conservemos para nós mesmos, mas nos é dada para que a doemos. Queridos jovens, tenham uma grande alma! Não tenham medo de sonhar com coisas grandes!" 

Isto, acrescentou o Santo Padre, "nos diz que a espera pelo retorno do Senhor é o tempo de ação – nós estamos no tempo de ação – , o tempo no qual colher os frutos dos dons de Deus não para nós mesmos, mas para Ele, para a Igreja, para os outros, o tempo no qual procurar sempre fazer crescer o bem no mundo".

Fonte: ACI Digital

quarta-feira, 24 de abril de 2013

Nomeados novos bispos para Ribeirão Preto (SP) e Santo Ângelo (RS)

Na manhã desta quarta-feira, 24 de abril, a Nunciatura Apostólica do Brasil comunicou que o papa Francisco aceitou a renúncia do bispo diocesano de Santo Ângelo (RS), dom José Clemente Weber, 76 anos, conforme prevê o Cânon 401 do Código de Direito Canônico. Para sucedê-lo, foi nomeado o bispo auxiliar da arquidiocese de Passo Fundo (RS), dom Liro Vendelino Meurer. Para a vacante arquidiocese de Ribeirão Preto (SP), foi nomeado dom Moacir Silva, transferindo-o da sede episcopal de São José dos Campos (SP).

Dom Moacir é natural de São José dos Campos. Nasceu no dia 16 de julho de 1954. Estudou filosofia no Seminário Bom Jesus, em Aparecida (SP), e teologia no Instituto Teológico Sagrado Coração de Jesus, em Taubaté (SP). Foi ordenado sacerdote no dia 06 de dezembro de 1986. Sua nomeação episcopal aconteceu no dia 20 de novembro de 2004. Exercia a função de bispo de são José dos Campos desde 2004.

Seu lema episcopal é “Permanecei em mim” (Jo 15,4).

Dom Liro Vendelino Meurer é natural de Montenegro (RS). Nasceu no dia 13 de julho de 1954. Estudou Filosofia no Seminário Maior Nossa Senhora Imaculada Conceição, em Viamão (1957-1977). Sua ordenação presbiteral foi em 12 de dezembro de 1981, em Salvador do Sul (RS). Foi nomeado bispo em 14 de janeiro de 2009. Desde 2009, exercia a função de bispo titular de Tucca di Numidia, e auxiliar de Passo Fundo (RS).

Seu lema episcopal é “Servir com alegria”.

Fonte: CNBB

terça-feira, 23 de abril de 2013

Médicos do Vaticano aprovam o segundo milagre de João Paulo II

O processo de canonização do Papa João Paulo II está procedendo a passos largos e já se fala que ele poderá ser proclamado santo no próximo mês de outubro. Na semana passada, a consulta dos médicos da Congregação das Causas dos Santos reconheceu como inexplicável uma cura de uma mulher atribuída ao bem-aventurado João Paulo II.

O possível milagre deverá ser aprovado também pela comissão de teólogos e cardeais, levando o papa polonês a ser reconhecido santo em tempo recorde, em apenas oito anos desde sua morte.

O processo é realizado em discrição. Em janeiro deste ano, o postulador da causa, monsenhor. Slawomir Oder, apresentou para um parecer preliminar uma cura milagrosa à Congregação vaticana dos Santos. Dois médicos da consulta vaticana examinaram previamente este novo caso, dando ambos um parecer favorável. Então toda a prática foi apresentada oficialmente ao dicastério, que o inseriu imediatamente na agenda dos trabalhos.

Na semana passada, houve debate de uma comissão de sete médicos e o parecer foi favorável. É evidente a vontade da Congregação para as Causas dos Santos, que tem o aval também de papa Francisco, em terminar todo o processo com a canonização do papa polonês.

Em maio, será realizada a congregação dos teólogos e dos cardeais da Congregação para as Causas dos santos e, em junho, o Consistório ordinário com a aprovação do papa.

Fonte: CN

A Igreja é Mãe de todos, que nos dá identidade, diz Papa

O Papa Francisco celebrou Missa, nesta terça-feira, 23, na Capela Paulina com todos os cardeais presentes em Roma, por ocasião da celebração do seu onomástico, na Festa de São Jorge. Onomástico é o dia em que uma pessoa celebra um santo, no dia em que ele é celebrado pela Igreja, cujo nome coincide com seu nome de batismo.

Estavam também na Capela o Secretário de Estado, Cardeal Tarcisio Bertone, e o Cardeal-decano, Angelo Sodano, que leu um discurso de parabéns ao Bispo de Roma em nome de todos. 

Em resposta, Francisco agradeceu: “Obrigado, me sinto bem com vocês e gosto disso”, disse.

Recordando a data, o Cardeal Sodano invocou para o Papa e os cardeais “o dom da força cristã, o mesmo que teve São Jorge quando deixou o uniforme militar para vestir o uniforme da fé”.

Na homilia, Francisco lembrou que a identidade cristã não é uma carteira de identidade, mas pertence à Igreja. “É uma dicotomia absurda querer amar Jesus sem a Igreja: identidade significa pertença”. Improvisando, o Papa prosseguiu afirmando que “se não formos cordeiros de Jesus, nossa fé não terá substância”.

Em seguida, invocou o “fervor apostólico”, recordando que é sempre necessário pensar na missionariedade da Igreja, na mãe Igreja que cresce com novos filhos. A este respeito, disse que a vida cristã e a vida da Igreja caminham sempre das “perseguições do mundo às consolações do Senhor”.

“Se quisermos proceder no caminho da mundanidade, negociando com o mundo como os Macabeus queriam fazer, jamais teremos a consolação do Senhor. Claro, se quisermos apenas a consolação, será superficial, e não a do Senhor”.

Ao descobrir a sua dimensão missionária, a primeira comunidade cristã conheceu a perseguição, mas também a alegria. “A Igreja, assim, é mais Mãe; Mãe de muitos filhos. Torna-se cada vez Mãe, Mãe que nos dá a fé, Mãe que nos dá a identidade”.

Ainda esta manhã, Papa Francisco publicou um novo tweet dedicado à Mãe de Jesus:

“Maria é a mulher do «Sim». Maria, fazei-nos conhecer cada vez melhor a voz de Jesus e ajudai-nos a segui-la!”

A conta do Pontífice no Tweeter, em português, é https://twitter.com/Pontifex_pt.

Fonte: CN

segunda-feira, 22 de abril de 2013

Dom Orani consagrará JMJ Rio 2013 à Nossa Senhora de Fátima



O arcebispo do Rio de Janeiro, dom Orani João Tempesta, presidirá nos dias 12 e 13 de maio, a Peregrinação Internacional por ocasião dos 96 anos da primeira aparição de Nossa Senhora em Fátima. A peregrinação terá como tema "A Deus nada é impossível".

O arcebispo recorda que a "devoção a Virgem de Fátima é uma das mais belas e preciosas heranças que os brasileiros receberam do povo português" e irá com o "desejo ser um peregrino" em comunhão com todos os que estarão na Cova da Iria.

Em entrevista concedida ao Santuário de Fátima, dom Orani revelou ainda que, durante a peregrinação, pretende consagrar a Nossa Senhora de Fátima os trabalhos da Jornada Mundial da Juventude (JMJ) a ser realizada de 23 a 28 de julho, no Rio de Janeiro.

Durante a peregrinação, a 13 de maio, por decisão dos bispos portugueses e em resposta ao pedido apresentado pelo Papa ao cardeal Patriarca de Lisboa, o pontificado do Papa Francisco será consagrado a Nossa Senhora de Fátima.

Fonte: NEWS.va

sexta-feira, 19 de abril de 2013

A Cruz peregrina da JMJ carregada pelos bispos da CNBB


Na manhã de hoje (19), no Santuário Nacional de Nossa Senhora Aparecida, padroeira do Brasil e patrona da Jornada Mundial da Juventude (JMJ-RIO2013), os bispos do Brasil reunidos em Aparecida na 51ª Assembleia Geral da CNBB, fizeram a experiência que já foi vivida e ainda está sendo por tantos jovens do país que é carregar os símbolos deste grande evento que reunirá milhares de jovens na cidade do Rio de Janeiro, em julho deste ano, com a presença do Santo Padre o Papa Francisco.

Nestas fotos vemos o nosso queridíssimo Dom Lucena, fazendo sua experiência de juventude, de jovem unidos a tantos outros irmãos do episcopado brasileiro.



Foto 1: Twitter: @padre_wagnerfcn | Foto 2: Facebook JMJ-Rio2013.

Fonte: Setor Diocesano da Juventude

quinta-feira, 18 de abril de 2013

Mensagem de agradeceimento ao Padre Marinaldo, que segue para sua nova missão na Paróquia N. Sra. da Luz

Padre Marinaldo Santos

Padre Marinaldo, parece que foi ontem a sua chegada a nossa Paróquia de São Sebastião. Nós o recebemos como enviado de Cristo e tamanha felicidade foi para nós que como nova família o acolhia.

Muitas lembranças ficarão guardadas, como por exemplo, os puxões de orelhas, as broncas, mas tudo isso foi para nos ensinar que a vida é feita também de dores e que são elas que nos deixam fortes para enfrentar o bom combate. Só temos a lhe agradecer-lhe pelos ensinamentos e força que nos deu em suas pregação, afim de que ao desistíssemos no meio caminho.

Saiba que sua marca já está registrada, não só em nossos corações, mas em cada detalhe de nossa vida pastoral e pessoal.  Seus cuidados e esmeros, para proporcionar aos fieis um lugar aconchegante e de oração na igreja, foram além do esperado. Como não lembrar do senhor, padre, ao estarmos diante do sacrário e saber que ali tem um pouco de sabedoria? Como não lembrar do senhor ao olharmos para imensa cruz de Cristo e saber que ali tem um pouco do seu carisma sacerdotal?

A sua missão agora terá prosseguimentos em outra terra, na terra da excelsa padroeira Nossa Senhora da Luz. No foi à toa que Jesus o filho de Deus, pronunciou: IDE POR TODO MUNDO E PREGAI O EVANGELHO A TODA CRIATURA. Os desígnios de Deus não chegam até nos para serem desvendados mas para serem aceitos, cumpridos e vividos com total dedicação e fidelidade, guardando no coração assim como Maria, e se foi chegado o momento de sua partida devemos acolher com todo o discernimento.

Pedimos a benção de Deus para esta nova que missão que chega para o seu ministério sacerdotal e pessoal, não diremos adeus, preferimos dizer: Até breve, PADRE!

Em nome de todos os paroquianos e paroquianas.
Pastoral da Comunicação Paroquial.

II Encontrão de Animadores das CEBs acontecerá no dia 28 de abril



A equipe de articulação das Comunidades Eclesiais de Base, da Diocese de Guarabira se prepara para o II Encontrão de Animadores das CEBs, que acontecerá durante todo o domingo, dia 28 de abril, no Ginásio do Colégio da Luz em Guarabira, sob o tema: “Fraternidade e profecia a serviço da vida” e o lema: “Eu vi a necessidade do meu povo. Vai eu te envio (Ex. 3, 7-10)

O primeiro Encontro de Animadores das CEBs aconteceu no ano passado (2012), no dia 29 de abril e reuniu mais de 200 participantes, entre os quais, animadores e lideranças de todas as Paróquias da Diocese de Guarabira.

Confira abaixo, a programação:

8h - Acolhida – crachá (Equipe de recepção)
8h30 –  Acolhida – Cânticos e animação  (grupo de animação)
09h – Oração – Região Pastoral de Guarabira
9h20 - Palavras do Coord. das CEBs – (Mons. José André da Silva Anselmo)
9h 30 – Palavra do Assessor (Pe.  Adauto Tavares Gomes)
10h30 – Trabalho em grupos
11h - Plenária   
12h - Almoço
13h - Animação
13h30 - Apresentação por Região, das diversas atividades Missionárias - pastorais nas comunidades.
15h - Celebração Eucarística – Dom Francisco de Assis Dantas Lucena, Bispo diocesano e os Padres presentes.

“VAI, EU TE ENVIO. “Ex 3,7-10

Fonte: Diocese de Guarabira (Pascom).

quarta-feira, 17 de abril de 2013

Solidariedade do Papa Francisco para vítmas de terremotos no Irã e Paquistão



O Papa Francisco manifestou sua solidariedade para com as vítimas do terremoto que atingiu nesta terça-feira o Irã e o Paquistão.

“Tomei conhecimento com tristeza do violento sismo que atingiu as populações do Irã e do Paquistão, causando morte, sofrimento e destruição. Elevo uma oração a Deus pelas vítimas e por todos aqueles que estão na dor e desejo manifestar aos povos iraniano e paquistanês a minha solidariedade”, disse o Pontífice ao final da Audiência Geral desta quarta-feira.

Um forte tremor de 7,8 graus foi sentido em todo o Golfo Pérsico – o pior dos últimos 40 anos. No Irã, pelo menos 41 pessoas morreram. No Paquistão, as vítimas mortais foram 40 e mais de 200 ficaram feridos. Cidades e povoados ficaram destruídos. No Irã, foi decretado o estado de emergência.

Fonte: Rádio Vaticano

domingo, 14 de abril de 2013

Regina Coeli: Papa Francisco convida a rezar pelos cristãos perseguidos



Cerca de oitenta mil fiéis e peregrinos rezaram o Regina Coeli conduzido pelo Papa Francisco, neste lindo domingo de sol, na praça São Pedro. Em sua alocução, o Pontífice se deteve brevemente na passagem do livro dos Atos dos Apóstolos que se lê na liturgia deste terceiro domingo de Páscoa.

"Este texto refere que a primeira pregação dos apóstolos em Jerusalém encheu a cidade da notícia que Jesus tinha verdadeiramente ressuscitado segundo as Escrituras e era o Messias anunciado pelos profetas", disse o Papa Francisco, acrescentando:

"Os sumos sacerdotes e os chefes da cidade procuraram cortar pela raiz a comunidade de fiéis em Cristo e fizeram aprisionar os apóstolos, ordenando-lhes de não ensinar mais em seu nome. Mas Pedro e os outros onze responderam: é preciso obedecer antes a Deus do que aos homens. O Deus de nossos pais ressuscitou Jesus o exaltou à sua direita como chefe e salvador. E desses fatos somos testemunhas nós e o Espírito Santo. Então, flagelaram os apóstolos e ordenaram-lhes de não falarem novamente no nome de Jesus. E eles foram embora, contentes por terem merecido sofrer insultos por causa do nome do Senhor".

O Pontífice então perguntou: "Onde encontravam os primeiros discípulos a força para esse testemunho? Não só. De onde vinha a alegria e coragem para anunciar, não obstante os obstáculos e a violência? Não podemos nos esquecer que os apóstolos eram pessoas simples, não eram escribas, doutores da lei, nem pertencentes à classe sacerdotal. Como puderam, com seus limites e a oposição por parte das autoridades, encher Jerusalém com seus ensinamentos? É claro que somente a presença com eles do Senhor Ressuscitado e a ação do Espírito Santo podem explicar este fato. A sua fé se baseava numa experiência tão forte e pessoal de Cristo morto e ressuscitado que eles não tinham medo de nada nem de ninguém, e até mesmo viam as perseguições como um motivo de honra, que lhes permitia seguir os passos de Jesus e assemelhar-se a Ele, testemunhando com a vida".

Francisco ressaltou que "a história da primeira comunidade cristã nos diz algo muito importante, que vale para a Igreja de todos os tempos, e também para nós: quando uma pessoa verdadeiramente conhece Jesus Cristo e crê nele, experimenta a Sua presença na vida e a força de sua ressurreição, e não pode deixar de comunicar esta experiência. E, se encontra incompreensões ou adversidades, se comporta como Jesus em sua Paixão: responde com amor e com a força da verdade".

O Papa convidou a pedir a Maria Santíssima "para que a Igreja em todo o mundo anuncie com franqueza e coragem a ressurreição do Senhor e testemunhe de maneira eficaz com sinais de amor fraterno". Ele convidou a rezar especialmente pelos cristãos que sofrem perseguição: "que eles sintam a presença viva do Senhor Ressuscitado", disse.

Após o Regina Coeli, o Papa Francisco recordou a beatificação neste sábado, em Veneza, Itália, de padre Luca Passi, sacerdote de Bérgamo, do século XIX, fundador da Obra Secular Santa Dorotéia e do Instituto das Irmãs Mestras de Santa Dorotéia.

O pontífice lembrou também que neste domingo na Itália se celebra o Dia da Universidade Católica do Sagrado Coração, sobre o tema "As novas gerações para além da crise." 

"Esta universidade nasceu da mente e do coração de padre Agostino Gemelli e com um grande apoio popular formou milhares e milhares de jovens a serem cidadãos competentes e responsáveis, construtores do bem comum. Convido a apoiar sempre esta universidade para que continue oferecendo às novas gerações uma ótima formação para enfrentar os desafios do tempo presente", destacou Francisco.

A seguir, o Papa saudou os peregrinos de vários países, as famílias, grupos paroquiais, movimentos e jovens. Saudou de modo especial os meninos e meninas que estão se preparando para o sacramento do Crisma.

Fonte: Rádio Vaticano

sábado, 13 de abril de 2013

Papa Francisco completa hoje um mês de pontificado



Completa-se neste sábado, 13 de abril, um mês da eleição do cardeal Jorge Mario Bergoglio à Cátedra de Pedro. Desde os primeiros momentos de seu pontificado, o Papa Francisco conquistou as pessoas com sua simplicidade, ternura e espontaneidade.

Eis algumas de suas palavras: "Quero lhes pedir um favor. Caminhemos todos juntos, cuidemos uns dos outros, cuidem da vida, da natureza, das crianças e dos idosos. Que não haja ódio, brigas, deixem de lado a inveja, não firam ninguém. Dialoguem, que entre vocês viva o desejo de cuidar uns dos outros. Deus é bom, sempre perdoa, compreende, não tenham medo Dele; é Pai, aproximem-se Dele. Rezem por mim".

Numa outra ocasião, o Santo Padre nos convidou a caminhar na presença do Senhor e a edificar a Igreja no sangue de Cristo. "A nossa vida é um caminho. Quando paramos, alguma coisa está errada. Caminhemos sempre na presença do Senhor, na luz do Senhor, buscando viver com aquela irrepreensibilidade que Deus pede a Abraão na promessa", frisou o Papa Francisco.

No encontro com os jornalistas na Sala Paulo VI, o pontífice recordou as palavras do arcebispo emérito de São Paulo, cardeal Cláudio Hummes, seu grande amigo, que o convidou a não se esquecer dos pobres, logo após sua eleição.

"Aquela palavra entrou aqui - disse, indicando a cabeça - 'os pobres, os pobres'. Aí, pensei em Francisco de Assis e depois, nas guerras. E Francisco é o homem da paz, o homem que ama e tutela a Criação. Francisco é o homem que nos dá este espírito de paz, o homem pobre. Ah, como gostaria de uma Igreja pobre e pelos pobres!", disse Francisco.

O ecumenismo, compromisso com os pobres e o impulso para a nova evangelização estão entre os temas que o novo Papa colocou no centro de seu ministério, neste primeiro mês de pontificado. Numa das audiências gerais realizadas nas quartas-feiras, Francisco destacou que "a fé se professa com as palavras e com o amor" e recordou o papel fundamental das mulheres nos Evangelhos.

"Isso é bonito, e esta é um pouco a missão das mulheres, mães e avós. Testemunhar a seus filhos e aos netos que Jesus está vivo, que Ele ressuscitou. Ele é a esperança que enche o coração. Mães e mulheres, avante com este testemunho", exortou.

Na missa de posse da Cátedra do bispo de Roma, celebrada na basílica de São João de Latrão, no último domingo, o Papa Francisco disse: "Amados irmãos e irmãs, deixemo-nos envolver pela misericórdia de Deus; confiemos na sua paciência, que sempre nos dá tempo; tenhamos a coragem de voltar para sua casa, habitar nas feridas do seu amor deixando-nos amar por Ele, encontrar a sua misericórdia nos Sacramentos. Sentiremos a sua ternura, sentiremos o seu abraço, e ficaremos nós também mais capazes de misericórdia, paciência, perdão e amor".

Fonte: Rádio Vaticano

sexta-feira, 12 de abril de 2013

Em Missa Solene, episcopado brasileiro reza pelos bispos eméritos

Os bispos do Brasil participaram na manhã desta sexta-feira, 12 de abril, da Celebração Eucarística, às7h30, no Altar Central, do Santuário Nacional.

A celebração deste terceiro dia da 51ª Assembleia Geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) foi em Ação de Graças pelos bispos eméritos da Igreja no Brasil.

A missa foi presidida pelo cardeal dom Geraldo Magela Agnelo, arcebispo emérito da arquidiocese de São Salvador da Bahia.

Em sua homilia, dom Geraldo Magela destacou o questionamento de Jesus para Filipe: ‘Onde vamos comprar pão para que eles possam comer?’

Jesus disso para colocá-lo à prova, pois ele mesmo sabia muito bem o que ia fazer. O Cardeal ressaltou que esta passagem lembra a pergunta de Moisés a Javé. “De fato, Jesus põe a disposição a sua intervenção”, afirmou.

Aos fiéis presentes no Santuário Nacional, dom Geraldo explicou que Jesus tomou os pães, deu graças e distribuiu-os e fez o mesmo com os peixes. Quando todos ficaram satisfeitos, Jesus disse aos discípulos: ‘Recolhei os pedaços que sobraram, para que nada se perca’.

“A nossa pequena obra vem multiplicada. O pão que Jesus oferece é sinal de eternidade. Deve-se a fé, a olhar o Pai através de Jesus. Na economia da salvação tudo tem valor. Reconhecemos em Jesus, o Messias. Como este pão partido e recolhido tornou-se uma coisa só, assim se recolha a tua Igreja nos confins da Terra”, acrescentou.

Finalizando sua reflexão, dom Geraldo Magela Agnelo pediu a intercessão de Nossa Senhora Aparecida pelos bispos eméritos. “Te agradecemos Pai por habitar em nossos corações e pela nossa fé. Pedimos de modo particular pela nossa Igreja que vem da fraternidade. Que Maria, mãe de Jesus e nossa mãe esteja sempre conosco”, concluiu

Fonte: CNBB

quinta-feira, 11 de abril de 2013

Diocese de Guarabira realiza estudo sobre o Concílio Vaticano II



Ouçamos o que o Espírito Santo diz à Igreja.” (cf Ap 2, 7)

A Diocese de Guarabira na pessoa do Bispo Diocesano Dom Lucena convida o clero, os religiosos(as) e leigos(as) para participarem, nos dias 26 e 27 de abril, de um Estudo cujo tema será “O Concílio Vaticano II: 50 anos depois”. O evento será no Centro de Formação Pe. Ibiapina - Santa Fé, em Solânea-PB e terá como assessor, o Arcebispo Emérito da Paraíba e padre Conciliar, Dom José Maria Pires.

Não será cobrado nenhuma taxa aos participantes, que deverão confirmar a presença antecipadamente pelo Tel.: (83) 3271-4242

Fonte: Diocese de Guarabira

quarta-feira, 10 de abril de 2013

Banda Saci - Escola de Música Padre Luís Gonzaga de Oliveira agradece o apoio dado por nossa Pastoral da Comunicação em sua nova formação

Em sua rede social facebook Saci Ong os diretores agradecem o apoio dado por nós que fazemos a Pastoral da Comunicação Paroquial em sua nova formação pela apresentação e participação da banda na sexta-feira Santa na procissão do Senhor Morto.

Veja na integra:



Na era do Papa Francisco, 1° pontífice não europeu, a Banda da SACI em sua nova formação fez sua primeira apresentação, que aconteceu na procissão do Senhor Morto na Paróquia de Lagoa de Dentro. Agradecemos o apoio da Pascom de Lagoa de Dentro. É sempre gratificante servir ao Senhor! E ainda mais unidos pela amizade.


Fonte: Facebook

Presidente da CNBB saúda participantes da Assembleia Geral em cerimônia oficial de abertura do encontro


Depois da missa que marcou o início da 51ª Assembleia Geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), aconteceu no plenário do Centro de Eventos Padre Vítor Coelho de Almeida a cerimônia de abertura solene do encontro.
A cerimônia, realizada na manhã desta quarta-feira, 10 de abril, contou com a presença do prefeito de Aparecida (SP), Márcio Siqueira;  o vice-presidente da CNBB, dom José Belisário; o Núncio Apostólico, dom Giovanni D’ Aniello; o presidente  da CNBB, dom Damasceno; o secretário geral da CNBB, dom Leonardo Steiner; reitor do Santuário Nacional, padre Domingos Sávio e demais arcebispos e bispos participantes da Assembleia.
O cardeal arcebispo de Aparecida e presidente da CNBB, Dom Raymundo Damasceno, fez a saudação abrindo Assembleia Geral e acolheu ao Núncio Apostólico, Dom Giovanni D’Aniello, ao Mons. Gianluca Perici, primeiro secretário da Nunciatura.
Dom Damasceno saudou também todos os membros da CNBB, os cardeais, arcebispos, bispos, administradores diocesanos; os arcebispos e bispos eméritos, assessores e assessoras da CNBB e ao reitor e funcionários do Santuário que colaboram com a Assembleia.
“No começo de todos os nossos trabalhos, esse ato solene – pelo qual nos associamos à oração de Nosso Senhor - manifesta nossa convicção de que acima de tudo e no princípio de todas as nossas ações, está o amor de Deus”, afirmou Dom Damasceno.
O cardeal destacou que este acontecimento anual, aguardado por todos com alegre expectativa, é uma experiência de partilha fraterna, oração, estudo e reflexão, que fortalece a comunhão dos bispos entre si e com o sucessor de Pedro, para melhor servir as Igrejas particulares.
Sobre o tema central da Assembleia “Comunidade de comunidades: uma nova Paróquia”, dom Damasceno afirmou que a atenção da Conferência volta para essa mais que milenar instituição, na qual se desenvolve o dia a dia da vida da quase totalidade dos católicos. À luz da Conferência Geral do Episcopado Latino-Americano e do Caribe, que se realizou aqui em Aparecida, no ano de 2007, aprofundaremos a reflexão a respeito das implicações da “conversão pastoral”.
“Promover cada vez mais a vida comunitária em nossas paróquias e seu dinamismo missionário é o desafio que se nos apresenta nesta hora. Para isso, nós precisamos ter a coragem de fazer as modificações necessárias nas estruturas paroquiais, tomando como pontos de referência fundamentais: Jesus Cristo e seu estilo de atuação, os desafios e sinais dos tempos atuais e a rica história da Paróquia”, afirmou.
Dom Damasceno afirmou que hoje os bispos discutem o projeto do Diretório para a Comunicação da Igreja no Brasil. O projeto que nos é apresentado é fruto de reflexão e de diálogo, no qual têm tomado parte leigos, diáconos, presbíteros e bispos. Ele é fruto ainda da colaboração de pesquisadores e intelectuais.
“Colocamo-nos diante de um aspecto importante da missão da Igreja em uma sociedade influenciada fortemente pelas comunicações sociais. A questão agrária no Brasil ocupará uma vez mais a atenção de nossa Conferência. Historicamente, este é um tema ao qual temos voltado repetidas vezes”.
Para dom Damasceno neste momento da história da Nação, essa questão assume contornos muito peculiares que importa conhecermos bem.
“É nossa intenção contribuir para a reflexão hodierna sobre a questão agrária e para a superação dos problemas e dos conflitos que aí existem há muito tempo e que hoje assumem características ainda mais graves e urgentes”.
Dom Raymundo falou também com especial atenção sobre a Jornada Mundial da Juventude, que acontecerá em julho no Rio de Janeiro.
“A etapa final da preparação para a Jornada pede de nós que intensifiquemos as orações e os trabalhos, para que a Juventude mundial que aqui virá, ou que nos acompanhará pelos meios de comunicação, tenha uma oportunidade singular de encontro com Cristo e com a Igreja. Ainda mais, a realização da Jornada Mundial da Juventude nos dará a oportunidade de receber o Papa Francisco, o primeiro Papa latino-americano a nos visitar”.
Diversos outros temas e atividades estão em programa da Assembleia, como o Retiro, comunicações do Secretariado Geral e das Comissões Episcopais de Pastoral e dos Grupos de Trabalho, o encontro das Comissões Episcopais de Pastoral com os Bispos Referenciais dos Regionais, comunicado sobre a 13ª Assembleia Geral do Sínodo dos Bispos, o lançamento de uma nova versão, comentada, do Código de Direito Canônico – na comemoração dos 30 anos de sua promulgação, o lançamento de uma edição revisada do Catecismo da Igreja Católica, e diversos outros temas.
“Esta Assembleia Geral se realiza no contexto do Ano da Fé – que vai até a festa de Cristo Rei deste ano (24 de novembro) – e do cinquentenário do Concílio Ecumênico Vaticano II. O Ano da Fé foi querido por Bento XVI, agora Bispo Emérito de Roma, para avivar em todos nós a consciência da centralidade da fé na vida da Igreja e para redespertar o entusiasmo de evangelizar”, finalizou o cardeal.
Fonte: CNBB