sábado, 31 de agosto de 2013

Papa nomeia novo secretário de Estado do Vaticano: dom Pietro Parolin

O atual núncio apostólico na Venezuela, arcebispo Pietro Parolin, foi nomeado pelo Papa Francisco como o novo secretário de Estado do Vaticano, substituindo o cardeal Tarcisio Bertone. A notícia foi anunciada oficialmente na manhã deste sábado, 31.

O comunicado ressalta que o Papa pediu a dom Tarcisio Bertone que permaneça no cargo até o dia 15 de outubro de 2013. Naquela data, em audiência com toda a cúria romana, Francisco agradecerá publicamente o fiel e generoso serviço prestado à Santa Sé pelo cardeal salesiano e apresentará dom Pietro Parolin a seus colaboradores.

O novo secretário de Estado nasceu em Schiavon, na região do Veneto, norte da Itália, há 58 anos. De família simples, ficou órfão de pai aos 10 anos. Ingressou no seminário aos 14. Estudou direito canônico em Roma, foi ordenado sacerdote em 1980 e iniciou carreira diplomática na Santa Sé em 1986. Foi representante da Santa Sé na Nigéria e no México. Em 2002, foi chamado novamente a Roma e nomeado vice-secretário da seção para as relações com os estados, colaborando com os cardeais Angelo Sodano e Tarcisio Bertone. Dom Pietro se ocupou das relações com os países asiáticos, como Vietnã e China até 2009, quando foi nomeado por Bento XVI para a nunciatura de Caracas.

A nomeação de dom Pietro Parolin marca o retorno à secretaria de Estado de um diplomata de formação. O novo secretário de Estado fala italiano, inglês, francês e espanhol.

Fonte: Rádio Vaticano

sexta-feira, 30 de agosto de 2013

Jesus Modelo de Comunicador


Neste sábado, 31 de agosto, aconteceu no Seminário Diocesano São José - Guarabira, a reunião com os representantes da Pascom de nossa Diocese. Na qual, foi discutido a importância dos meios de comunicação no serviço da evangelização e o 8° Mutirão Brasileiro de Comunicação.




Fonte e Fotos: Diocese de Guarabira (PB).

quinta-feira, 29 de agosto de 2013

Celebração em Ação de Graças pelos 24 anos de Carisma Doce Mãe de Deus é presidida em Lagoa de Dentro - PB

FOTOS: LENILSON COSTA
Na tarde desta quinta-feira (29) dia em que se celebra o martírio de São João Batista, a Comunidade Doce Mãe de Deus celebra os 24 anos de sua fundação por meio de um sopro novo do Espírito Santo sobre homens e mulheres que doam suas vidas a Igreja e ao seu Reino. Não diferente das outras casas de missão espalhadas no Brasil e duas no exterior, a missão Doce Mãe de Deus presente em nossa paróquia convidou os amigos e membros da obra para participarem da celebração eucarística, que aconteceu em frente a casa de missão situada à rua São Bernardo, nº 60.


A celebração foi presidida pelo Pe. Márcio José (CDMD) e contou com a presença de membros consagrados e de fases da mesma comunidade, contou também com a presença de fieis católicos. Desde do dia 27 deste mês o carisma celebra o tríduo de aniversário e o caminho que se prepara rumo ao jubileu dos 25 anos que já conta com a abertura da Porta Santa ou Porta Jubilar, além do decreto concedido pelo Santo Padre o Papa Francisco que concede aos fieis e membros Doce Mãe de Deus a graça das indulgências plenárias, que acompanhará um calendário fixado pela formação geral (datas importantes para a comunidade).


Henrique Florêncio
Pastoral Paroquial da Comunicação

FELIZ ANIVERSÁRIO COMUNIDADE DOCE MÃE DE DEUS


Há 24 anos, mais um sopro do Espírito Santo criava vida, mais uma resposta do homem a vontade de Deus foi dada. Nascia a Comunidade Doce Mãe de Deus, com a vocação específica de “Ser testemunha do Mistério da Salvação de Cristo pelo Amor da Santa Cruz”, salvação esta que deu novo rumo, tocou e alcançou a muitos.
Hoje, missionários, amigos da obra, colaboradores e benfeitores, celebram com alegria este dia especial, por fazer parte de uma história de amor de Deus como testemunha do evangelho e de seus feitos.
E com sentimento de profunda gratidão, louvamos a Deus pela sua presença em nossas vidas, através dessa vocação e carisma. Somos gratos porque a misericórdia do Sumo Bem nos alcançou e nos coloca no rumo da santidade de vida.
“Nada poderá se comparar ao que eu encontrei neste lugar. Nada poderá cancelar o que Deus fez em mim, quem eu me tornei quando disse sim a Deus”.
Feliz 24 anos de DMD, rumo ao jubileu!

quarta-feira, 28 de agosto de 2013

INTENÇÕES DO PAPA PARA O MÊS DE SETEMBRO

O Vaticano divulgou as intenções do Papa Francisco para o mês de setembro onde o Pontífice assinala o valor do silêncio, e de escutar Deus e os irmãos, e pelos cristãos perseguidos.
A intenção geral do apostolado da oração do Papa é: "Para que os homens e mulheres do nosso tempo, tantas vezes mergulhados num ritmo frenético de vida, redescubram o valor do silêncio e saibam escutar Deus e os irmãos".
E na sua intenção missionária "Para que os cristãos perseguidos possam testemunhar o amor de Cristo".
Por ACI Digital

Bento XVI: Papa emérito deixou 'marca de profundidade' na Teologia

O padre Henrique Noronha Galvão é um dos participantes no encontro dos antigos alunos de Ratzinger, que começa esta quinta-feira, em Castel Gandolfo, pela primeira vez sem a participação do Papa emérito Bento XVI. 

Este ano está em debate «A questão de Deus numa sociedade secularizada», contando para isso com a presença do francês historiador e filósofo Rémi Brague, professor na Universidade Sorbonne, em Paris, França, que “o ano passado recebeu um prémio da Fundação Bento XVI”, explica à Agência ECCLESIA o padre Henrique Noronha Galvão, revelando "grandes expetativas" para um “orador competente e profundo”. 

Bento XVI optou por não participar no 35º encontro dos «Círculos Ratzinger», que reúne os antigos alunos de tese de doutoramento de Ratzinger, uma vez que deseja manter “uma grande discrição”, evitando qualquer referência a “citações e opiniões”, revela o antigo aluno português, estando, no entanto, prevista uma “celebração presidida pelo Papa emérito”, em Roma. 

A coordenação do encontro, que termina a 2 de setembro, vai estar a cargo do padre Stephan Otto Horn, antigo assistente de Joseph Ratzinger na Universidade de Ratisbona, na Baviera alemã. 

Os encontros do círculo de antigos estudantes do professor Ratzinger foram iniciados em 1978. 

“Havia o seminário dos doutorandos, que se reuniam de 15 em 15 dias, e estes encontros anuais são do tempo em que estudávamos com ele, uma tradição que continuou quando Joseph Ratzinger foi nomeado arcebispo de Munique e mais tarde Papa Bento XVI”, explica o padre Henrique Noronha Galvão. 

Com uma produção teológica muito ampla, o Papa Ratzinger deixou uma marca de profundidade, de “procura do essencial”. 

No dia em que se assinalam seis meses sobre o final do pontificado de Bento XVI, o sacerdote português sublinha a “inovadora” reflexão teológica, “profundamente enraizada na Sagrada Escritura e na tradição”. 

Para o padre Henrique Galvão, o pensamento de Joseph Ratzinger não se "alia” a correntes dominantes ou atuais, apresentado “uma visão pessoal dos problemas baseada na história, mas muito atenta às questões que hoje se põem ao Homem moderno”. 

Apesar da ausência do promotor, o sacerdote português aponta a importância da continuação dos Círculos Ratzinger, uma vez que os seus alunos desejam continuar o debate de ideias, assumindo a responsabilidade de “conservar a tradição, divulgar e aprofundar o pensamento” do seu professor. 

Dos encontros com o Papa emérito, o padre Noronha Galvão destaca a “amizade pessoal” de muitos anos, a “veneração pelo mestre e uma vontade de, para além de aprofundar o seu pensamento, também o criticar”, uma vez que o professor sempre demonstrou “a preocupação de dar uma grande liberdade de reflexão”. 

Ter sido aluno do Papa emérito Bento XVI acarreta a responsabilidade “de todo o discípulo em relação ao mestre” revela o padre Henrique Noronha Galvão. 

A Fundação Joseph Ratzinger/Papa Bento XVI, aprovada em 2008, está ao serviço do estudo e divulgação teológica, promovendo encontros, financiando publicações e atribuindo “bolsas de estudo a teólogos” que pretendam “aprofundar o pensamento de Ratzinger”, explica o padre Noronha Galvão.

Fonte: Agência Ecclesia

terça-feira, 27 de agosto de 2013

JMJ: o que esperar?

Os jovens presentes na JMJ clamavam: “esta é a juventude do Papa”. Percebia-se algo semelhante ao clamor do povo nas ruas, durante o mês de junho p.p. A juventude clama por mudanças, à espera de líderes aos quais se agreguem, orientando-se para os rumos de uma vida edificada em ideais sólidos, equidistantes do cansaço do bem-estar propagado pela sociedade de consumo. Em vista do lucro, a cultura da sociedade de consumo alicia as pessoas e as transforma em usuárias, dependentes, medíocres, inúteis. O prazer sem compromisso social destrói grandes ideais dos quais a juventude sempre é portadora, não obstante conflitos inevitáveis entre gerações. Faz parte do aprendizado.

A JMJ apostou nos jovens que se demonstraram abertos aos valores humanos e cristãos e se dispõem a assumi-los como princípios referenciais que os ajudam a construir a própria vida, constituir a sua família e edificar uma sociedade melhor. A JMJ apostou em quem aceita e acolhe os jovens. Muitos deles desejam retornar à vida cristã, pedindo acompanhamento no processo de conversão e compromisso de transformação. Impressionou-me o testemunho de jovens dados durante as catequeses. Alguns foram libertados do submundo das drogas e da vida leviana, por convite simples e corajoso de outros jovens. Para quem está numa pior, um convite para conhecer ambientes sadios, seguindo-se um acompanhamento sincero no caminho do bem e da verdade, faz toda a diferença. A alternativa da vida saudável vincula-se à aceitação das raízes familiares que, se antes foram desprezadas, agora se constituem como sentido para a vida.

A espiritualidade cristã motiva e incentiva muitos a recuperarem a alegria de pertencer a uma família e se inserir socialmente pela capacitação ao trabalho. A JMJ foi exemplar de oportunidades de reapresentar à juventude os ideais que lhes são próprios, não obstante o desvio do sono letárgico do consumismo que os alicia, da ideologia dos grupos de pressão tentando manipular a juventude, tentando fazê-la dependente de drogas e de reduzi-la à massa de manobra da violência. Percebo que nós, consagrados, primeiros responsáveis pela vida e missão evangelizadora da Igreja, devamos construir conjuntamente com os adolescentes e os jovens que buscam novo sentido para a vida. Não se trata se um planejamento estratégico único, mas de projetos alternativos, a partir do que eles esperam. O modelo de Igreja que eu tenho na cabeça não é o que muitos deles têm no coração. Porém os jovens pedem que estejamos junto a eles e que os orientemos. Assim também esperam que os governantes ofereçam-lhes oportunidades para o seu desenvolvimento integral. Estamos preparados para assumir a desafiadora missão?
Dom Aldo Pagotto
Arcebispo Metropolitano da Paraíba

domingo, 25 de agosto de 2013

Dia do (a) Catequista

Neste dia 25 do mês de agosto, mês vocacional, comemora-se o Dia do (a) Catequista, no Ano da Fé. Em nossa Diocese, o encontrão diocesano é uma maneira de celebrar com os(as) catequistas este dia tão especial.

A catequese está desafiando a viver um momento novo, a um novo agir e a uma mudança de métodos. Muita gente participa de nossas comunidades sem a consciência clara da vida cristã e da fé. A preparação ainda é insuficiente ou muito superficial. Ela é assumida e vista como escola ou tarefa exclusiva do catequista. Falta apoio de todos os lados para o exercício comum da catequese e tê-la como serviço essencial da comunidade. Convivemos com uma falta de clareza em nossa catequese. Conteúdos são transmitidos, mas pouco atingem a experiência da fé. É preciso experimentar o sabor.

É necessário acabar com a ruptura entre os sacramentos e o testemunho cristão. Para isso é preciso incluir um esforço para a vivência autêntica da fé. O exemplo de vida cristã, a alegria da fé, seja do Bispo, do Padre, dos pais, do catequista deve contagiar, revolucionar a vida de todos. O ser humano é sensível aos gestos, ao bem, à espontaneidade e à sinceridade.

A iniciação cristã ainda está fragmentada em momentos isolados e pouco relacionados entre si.Tanto assim que a celebração de um sacramento é vista como uma conclusão ou fim de um processo, ao invés de levar a uma participação frutuosa da vida cristã por toda a existência.  Temos necessidade de uma iniciação cristã para que a fé faça parte da vida de nosso povo. Cristo é a esperança de todos e que, apesar de todas as dificuldades que surgem na vida, é preciso buscar, proclamar e celebrar o evangelho da esperança, este evangelho que é confiado à Igreja.

Diante do cenário atual, propõe-se o caminho catecumenal para a catequese. Um processo da iniciação cristã. Uma preparação para os sacramentos, promovendo a adesão a Jesus Cristo e à Igreja, incluindo ritos e celebrações que conduzem à experiência do mistério de Deus. Sendo inspiração para toda a catequese, o catecumenato nos apresenta um método marcado por etapas e celebrações. As etapas são como itinerários, um caminho que conduz os catequizandos, a comunidade, as famílias e os ministros ao núcleo da fé. O itinerário da iniciação cristã compreende etapas (ou passos), celebrações e ritos. O pré-catecumenato é o momento do primeiro anúncio, em vista da conversão. O catecumenato é destinado à catequese integral, à pratica da vida cristã, às celebrações e ao testemunho da fé. Há um tempo de purificação e iluminação. Por último, um tempo ao progresso no conhecimento do mistério pascal (mistagogia). São muitas as vantagens de uma catequese inspirada pelo processo catecumenal.

Queridos(as) catequistas, abrace esse caminho. Saber fazer é uma das tarefas do ser catequista. Só podemos catequizar os outros catequizando a si mesmo. Agradeço a todos(as) os(as) catequistas pela dedicação, amor a esta missão de conduzir a Jesus os seus catequizandos. Que a experiência do encontro com Jesus seja a força motivadora capaz de lhe trazer o encantamento pelo caminho do discipulado, cheio de desafios que os(as) fazem crescer e acabam gerando profundas alegrias.

Gostaria de dizer a cada um(a) catequista: Parabéns!  E lembro os comovedores ensinamentos do Papa Francisco: “Coloque fé, esperança e amor em sua vida e ela terá um novo sabor, terá uma bússola que indica uma nova direção. Sua existência será como a casa construída sobre a rocha firme. O seu caminho será alegre, porque você encontrará muitos que caminharão com você.  Apaixonem-se por Jesus Cristo”. Deus o(a)abençoe, Catequista!

Dom Francisco de Assis Dantas de Lucena – Bispo de Guarabira(PB)

Fonte: Diocese de Guarabira (PB).

sexta-feira, 23 de agosto de 2013

Regional Nordeste 2 avalia atuação pastoral

Os Bispos do Conselho Episcopal Pastoral (CEP) se reuniram no dia 20 de agosto, na sede do Secretariado, em Recife (PE), para tratar da vida pastoral do Regional Nordeste 2. O encontro contou com a presença dos coordenadores diocesanos de pastoral. A Semana Missionária e a participação dos jovens na JMJRio 2013 tiveram participação positiva em todas as Dioceses do regional. O bispos avaliaram de que forma o estudo 104 da CNBB “Comunidade de comunidades: uma nova paróquia” está sendo trabalhado nas dioceses, em vista das contribuições a serem encaminhadas à Conferência.
Na ocasisão, foi aprovada a pauta da próxima Assembleia Regional de Pastoral, que se realizará em Lagoa Seca (PB), no de 16 a 19 de outubro. O evento contará com a assessoria do presidente da Comissão Episcopal para a Juventude da CNBB, dom Eduardo Pinheiro, que abordará o tema “A evangelização da Juventude”, à luz dos Documentos 85 e 103 da CNBB e os frutos da Jornada Mundial da Juventude.
Fonte: Regional NE2

domingo, 18 de agosto de 2013

Encontrão Diocesano da Família


Neste domingo, 18 de agosto, no Ginásio do Colégio Estadual, em Guarabira, aconteceu o “Encontrão Diocesano da Família, que contou com a presença de famílias de todas as Paróquias de nossa Diocese.  

No encontro, foi discutido o valor da família cristã, e sua atuação na Igreja, vivendo os princípios do amor e da fraternidade. A família é a célula mãe, pois, é dela que nascem todos os dons de nossa sociedade. 

A família que reza é  família unida.

Fonte: Diocese de Guarabira

Papa no Twitter: "não podemos dormir tranquilos enquanto houver crianças que morrem de fome"


O Papa Francisco publicou na manhã deste sábado, 17, uma nova mensagem em sua conta oficial no Twitter.

Segundo o Papa, "não podemos dormir tranquilos enquanto houver crianças que morrem de fome e idosos que não têm assistência médica". (VH)

Da redação do Portal Ecclesia.

sábado, 17 de agosto de 2013

Igreja do Brasil encerra Semana Nacional da Família

Dioceses e paróquias de todo o Brasil encerram neste sábado, 17, as celebrações da Semana Nacional da Família. O evento iniciou-se no dia 11 deste mês e objetivou refletir questões referentes à vocação para vida em família.

De acordo com o coordenador nacional da Pastoral Familiar, Raimundo Leal, a Semana surgiu há 17 anos, a partir das catequeses preparatórias para o II Encontro Mundial com as Famílias no Rio de Janeiro em outubro de 1997, com a presença do então Papa, João Paulo II.

"A Transmissão e educação da fé cristã na família", foi o tema principal da Semana Nacional.

Segundo o presidente da Comissão Episcopal para a Vida e a Família da CNBB, dom João Carlos Petrini, que é bispo de Camaçari (BA), a fé se transmite na família. Ele destaca que, embora a escola tenha papel importante na educação das crianças no contexto atual, nada substitui o que um pai e uma mãe falam a um filho.

"'Lá na escola eles vão apreender tudo', mas isto não é plenamente verdade, porque na escola aprendem-se muitas coisas, mas nada pode substituir a voz do pai ou da mãe que falam das coisas mais profundas e preciosas na vida de uma pessoa", afirmou.

Em 2014, a Semana Nacional da Família terá início no dia 10 de agosto, segundo domingo do mês, dedicado aos pais.

Fonte: Canção Nova Notícias

sexta-feira, 16 de agosto de 2013

Curso dos novos bispos termina com avaliação positiva


Hoje, 16, o último dia do 24º Encontro dos Novos Bispos, realizado na CNBB, teve uma programação diferenciada. Os novos bispos visitaram a sede da Conferência dos Religiosos do Brasil (CRB). Com 57 anos de existência, a entidade tem uma missão bem específica de animar a vida religiosa consagrada no país, contribuindo para a evolução e seu processo de organização. Ainda no período da manhã, os bispos fizeram uma avaliação do encontro e, em seguida, participaram do almoço de encerramento. Durante uma semana, os novos bispos de diferentes partes do Brasil vieram a Brasília para formação deste início do ministério episcopal, com acompanhamento da Comissão Episcopal Pastoral para os Ministérios Ordenados e a Vida Consagrada da CNBB.

Na oportunidade, o novo grupo do episcopado conheceu as instalações e os trabalhos realizados pelas comissões e departamentos da Conferência dos Bispos, e visitou a nunciatura apostólica para um diálogo com o núncio, dom Giovanni D'Aniello. No curso, os bispos também tiveram contato com os documentos da CNBB e estudaram temas como o "Direito Canônico", "O bispo e sua missão", "O bispo como animador da liturgia", entre outros.

Na quarta-feira (14), os novos bispos visitaram a sede das Pontifícias Obras Missionárias (POM) e o Centro Cultural Missionário (CCM). Os prelados conheceram as instalações, os subsídios disponíveis para animação missionária e os cursos de formação. O trabalho de animar e aprofundar a consciência missionária da Igreja em todo o Brasil é feito em estreita comunhão com a Comissão Episcopal Pastoral para a Ação Missionária da CNBB, os Conselhos Missionários Regionais (Comires), a Comissão para a Missão Continental, a Comissão para a Amazônia, o CCM, o Conselho Indigenista Missionário (Cimi), a Conferência dos Religiosos do Brasil (CRB), entre outros organismos.

O secretário geral da CNBB, dom Leonardo Steiner, falou aos novos bispos sobre as Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil, na quinta-feira (15). Ele ressaltou aos bispos a missão da Conferência em ser um organismo de comunhão e a expressão de colegialidade dos bispos do Brasil. "Temos as Diretrizes Gerais que buscam expressar essa comunhão e dar fundamentos à ação evangelizadora da Igreja no Brasil. Elas tornaram um sinal de uma Igreja que deseja evangelizar, profundamente encarnada e que testemunha o evangelho, uma Igreja samaritana. As diretrizes expressam um grande desejo dos bispos de serem mais evangelizadores, levando em conta especialmente o Documento de Aparecida, buscando encarnar cinco urgências fundamentais que constam no texto".

Avaliando o curso dos novos bispos, dom Leonardo reforçou que este é um momento importante para a Conferência Episcopal. "Eles vêm para a casa dos bispos que é a CNBB. Conhecem um pouco o modo como trabalhamos, fazem contato com as comissões, assessores, mas também com os funcionários. Podem ouvir de bispos que estão há mais tempo exercendo seu ministério e saber da organização da Igreja particular que é sinal de comunhão, de ajuda e quando necessário poderem recorrer ao secretariado", disse dom Leonardo.

Conheça os novos bispos

Dom João Francisco Salm - bispo de Tubarão (SC), dom Vital Corbellini - bispo de Marabá (PA), dom Elio Rama - bispo de Pinheiro (MA), dom Eraldo Bispo da Silva - bispo de Patos (PB), dom Darci José Nicioli - bispo Auxiliar de Aparecida (SP), dom Valdir Mamede - bispo auxiliar de Brasília (DF), dom José Mario Scalon Angonese - bispo auxiliar de Curitiba (PR), dom Gabriele Marchesi - bispo de Floresta (PE), dom Marco Aurélio Gubiotti - bispo de Itabira (MG), dom Luiz Antonio Cipolini - bispo de Marília (SP), dom José Aparecido - bispo auxiliar de Brasília (DF), monsenhor José Maria Chaves dos Reis - bispo de Abaetetuba, monsenhor João Gilberto de Moura - bispo de Jardim, monsenhor José Carlos Brandão Cabral - bispo de Almenara, monsenhor Luiz Fernando Lisboa - bispo de Pemba Moçambique.

Fonte: CNBB

Cardeal de Aparecida recebe carta de agradecimento do Papa


O cardeal arcebispo de Aparecida (SP), dom Raymundo Damasceno Assis, recebeu uma carta com a mensagem do Papa Francisco em agradecimento pela acolhida recebida no Brasil e, em especial, na cidade de Aparecida.

Na mensagem o Papa agradece toda a gentileza que recebeu durante sua estada no Brasil especialmente em Aparecida, lembra dos fiéis que enfrentaram frio e chuva para vê-lo em sua passagem pelo Santuário Nacional, reza por todas as dioceses e prelazias do Brasil, e por fim, pede que todos rezem por ele.

Confira a mensagem completa:

Querido irmão,

Venho renovar-lhe a expressão do meu agradecimento e, através de sua pessoa, a todos quantos o mesmo seja devido nessa amada diocese, particularmente no Santuário de Nossa Senhora Aparecida, pelo carinho que me receberam e tudo predispuseram da melhor maneira para que eu pudesse visitar a casa da Mãe de todos os brasileiros.

Guardo indeléveis, na memória e no coração, as imagens daquela ativa assembleia litúrgica e da multidão festiva que na esplanada do Santuário, mesmo com frio e a chuva, quiseram acompanhar-me na minha peregrinação à Aparecida. Sem dúvidas foi também uma oportunidade para reviver as belas recordações da minha permanência no Santuário, durante a quinta Conferência do Episcopado Latino-Americano e do Caribe, confiei a Ela, nossa Mãe, a vida de cada brasileiro, bem como pedi que fizesse arder no coração de cada sacerdote desse imenso País um zelo sempre maior por anunciar a Boa Nova de Jesus Cristo.

Peço-lhe também para que, na sua qualidade de presidente da CNBB, se faça intérprete do meu vivo apreço e gratidão aos bispos do Brasil, a todos os párocos, pastorais e movimentos eclesiais pelo carinho e empenho postos na preparação e realização da Jornada Mundial da Juventude. Esta foi, certamente, um evento em que o Senhor cumulou de graças a Igreja que está no Brasil. Faço votos para que as sementes que foram lançadas possam frutificar permitindo uma nova primavera para a Igreja nesta amada nação.

Reconhecido, retribuo todas as gentilezas recebidas, confiando a Deus, pela intercessão de Nossa Senhora Aparecida, as dioceses e prelazias brasileiras, juntamente com os seus pastores, enquanto de coração a todos concedo uma especial benção apostólica e peço que, por favor, não deixem de rezar por mim.

Vaticano, 2 de agosto de 2013.

Franciscus

Fonte: Canção Nova Notícias

domingo, 11 de agosto de 2013

Papa envia benção aos brasileiros pela Semana Nacional da Família


O Papa Francisco enviou uma benção apostólica para os fiéis, comunidades e paróquias que participam, no Brasil, da Semana Nacional da Família. A programação, que começa neste domingo, 11, vai até 17 de agosto, faz a reflexão do tema "A transmissão e educação da fé cristã na família". O evento é animado pela Comissão Episcopal Pastoral para a Vida e a Família da CNBB.

A seguir, a íntegra da mensagem do Papa Francisco:

Vaticano, 6 de agosto de 2013.

Queridas famílias brasileiras,

Guardando vivas no coração as alegrias que me foram proporcionadas durante a recente visita ao Brasil, me sinto feliz em saudá-las por ocasião da Semana Nacional da Família, cujo tema é "A transmissão e a educação da fé cristã na família", encorajando os pais nessa nobre e exigente missão que possuem de ser os primeiros colaboradores de Deus na orientação fundamental da existência e a segurança de um bom futuro. Para isso, "é importante que os pais cultivem as práticas comuns de fé na família, que acompanhem o amadurecimento de fé dos filhos" (Carta Encíclica Lumem Fidei, 53). Neste sentido, os pais são chamados a transmitir, tanto por palavras como, sobretudo pelas obras, as verdades fundamentais sobre a vida e o amor humano, que recebem uma nova luz da revelação de Deus. De modo particular, diante da cultura do descartável, que relativiza o valor da vida humana, os pais são chamados a transmitir aos seus filhos a consciência de que esta deva sempre ser defendida, já desde o ventre materno, reconhecendo ali um dom de Deus e garantia do futuro da humanidade, mas também na atenção aos mais velhos, especialmente aos avós, que são a memória viva de um povo e transmissores da sabedoria da vida. Fazendo votos de que vocês, queridas famílias brasileiras, sejam o mais convincentes arautos da beleza do amor sustentado e alimentado pela fé e como penhor de graças do Alto, pela intercessão de Nossa Senhora Aparecida, a todos concedo a benção apostólica.

Fonte: CN Notícias

sexta-feira, 9 de agosto de 2013

Nota de Esclarecimento em razão do que tem sido publicado sobre a E.E.E.F.M. Carlota Barreira, na cidade de Areia

CLIQUE NA IMAGEM PARA AMPLIAR

Fonte: Diocese de Guarabira (PB).

XIX - Grito dos Excluídos

O evento acontecera na Área Pastoral Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, em Casserengue. O Grito tem a finalidade de despertar na população uma maior conscientização, e os encorajar na luta por um mundo melhor, mais humano e fraterno. De modo que, a caridade torna-se o ápice nas relações humanas. 

Será realizado no dia 15 de setembro de 2013, às 13h00.


Fonte: Diocese de Guarabira (PB).

quarta-feira, 7 de agosto de 2013

Regional Norte 3 da CNBB será instalado hoje em Palmas (TO)

Hoje, 7 de agosto, será lançado oficialmente o novo regional da CNBB, o Norte 3, criado durante a última Assembleia Geral dos Bispos, em abril deste ano. O evento contará com missa de instalação, às 19h, na Casa de Maria, com presença dos bispos das dioceses do Norte 3: arquidiocese de Palmas – dom Pedro Brito Guimarães e as dioceses de Tocantinópolis – dom Giovane Pereira de Melo, Porto Nacional – dom Romualdo Matias Kujawski, o prelado de Cristalândia – dom Rodolfo Luís Weber e a diocese Miracema do Tocantins, cujo bispo, dom Philip Dickmans foi eleito presidente para o novo regional.

Uma das justificativas para a criação do regional foi a constatação das distâncias físicas e pastorais da Sub-Região Pastoral de Tocantins em relação às capitais Goiânia e Brasília, inviabilizando a participação da comunidade. “Na verdade já percebíamos a necessidade deste novo regional. Para esse momento tem sido importante a unidade dos bispos das dioceses que compõem o Norte 3, que têm partilhado os novos rumos do regional”, explica dom Philip.

O lançamento contará com representantes das cinco dioceses do regional. Na oportunidade, haverá reunião com os presbíteros, diáconos, religiosos e leigos que estão na organização das comissões pastorais e diretorias do Norte 3. “Não é uma mudança tão nova, mas claro que precisamos organizar toda a documentação e outras exigências. Neste sentido estamos trabalhando para que isso aconteça. O que nos chama atenção é o fato de Tocantins ser uma região missionária. Para isso queremos aplicar o Documento de Aparecida que pede uma Igreja em estado permanente de missão”, completa o presidente.

Desafios da missão

Na tentativa de buscar caminhos para os trabalhos missionários do regional Norte 3, de 19 a 20 de outubro, o estado do Tocantins sediará o 1º Congresso Missionário, que será um momento de reflexão sobre a missão. E, diante dos desafios do Regional Norte 3, dom Philip explica que para responder à missão do Regional, contará com futuros investimentos, estes serão planejados e orçados conforme orientam os Estatutos e Regimento da CNBB. “Percebemos alguns desafios, como muitas pessoas fora das igrejas em busca de uma resposta e não estão encontrando em nossas comunidades. Por isso é muito precioso o papel do leigo na Igreja para essa evangelização. O regional é um desafio para os bispos. Mas tenho a certeza que em unidade com o nosso povo, será um caminho muito bonito e abençoado por Deus”, deseja dom Philip Dickmans.

Informações

Missa de instalação do Regional Norte 3, dia 7 de agosto, na Casa de Maria, na 106 Sul, em Palmas (TO), às 19h. Contato: (63) 3366.2285

Fonte: CNBB

segunda-feira, 5 de agosto de 2013

Missa no Vaticano recorda os 35 anos da morte do Papa Paulo VI

A Basílica de São Pedro, no Vaticano, acolhe nesta terça-feira, 6, uma Missa para assinalar o 35º aniversário da morte do Papa Paulo VI. A celebração será presidida pelo bispo de Bérgamo, Dom Francesco Beschi.

O jornal da Santa Sé, L’Osservatore Romano, explica que a celebração quer ser um momento de oração pelo dom deste generoso e leal servidor do Evangelho, do Homem e da Igreja.

A iniciativa é da Associação Studium Fidei, de Trieste, que dá seguimento ao compromisso iniciado pelo ex-secretário particular do Papa Montini, o arcebispo Pasquale Macchi.

Giovanni Battista Montini(1897-1978), sucessor de João XXIII, viria a concluir o Concílio Vaticano II e seria o primeiro Papa a visitar Fátima. Nascido em 26 de setembro de 1897 na Lombardia, Itália, foi ordenado padre em 1920, tendo entrado no serviço diplomático da Santa Sé.

Nomeado arcebispo de Milão em 1953, foi criado cardeal em dezembro de 1958, por João XXIII. Entre 1964 e 1970, Paulo VI fez nove viagens internacionais, as primeiras de um Papa moderno, incluindo a passagem por Fátima em 13 de maio de 1967.

O Papa italiano escreveu sete encíclicas, entre as quais a Humanae vitae (1968), sobre a regulação da natalidade, e a Populorum progressio (1967), sobre o desenvolvimento dos povos. Assinou ainda a exortação apostólica Evangelii nuntiandi (1975), sobre a evangelização no mundo contemporâneo, e discursou na sede da Organização das Nações Unidas, em Nova Iorque, em 4 de outubro de 1965.

Paulo VI morreu no dia 6 de agosto de 1978.

Fonte: Agência Ecclesia

Morre dom Jaime Luiz Coelho, arcebispo emérito de Maringá (PR)

A Arquidiocese de Maringá comunicou o falecimento de seu arcebispo emérito, dom Jaime Luiz Coelho, aos 97 anos, no início da madrugada desta segunda-feira, 05 de agosto. O bispo estava internado desde o último sábado na UTI da Santa Casa de Maringá, por conta do agravamento do estado de insuficiência renal.

O velório terá início às 12h desta segunda-feira na Catedral Basílica Menor Nossa Senhora da Glória. O sepultamento deverá ser realizado na terça-feira (06) logo após a missa de corpo presente das 18h30. O corpo de Dom Jaime será sepultado na cripta da Catedral Basílica.

Dom Jaime foi o primeiro bispo de Maringá (1957-1979) e primeiro arcebispo metropolitano (1979-1997). Na CNBB, foi também o primeiro secretário do Regional Sul 2 (1964-1965). Participou de quatro sessões do Concílio Vaticano II (1962-1965) e da 3ª Conferência do Episcopado Latino Americano (Celam), em Puebla, no ano de 1979.

Um pedido especial feito pela Arquidiocese de Maringá é de que as pessoas que queiram prestar homenagens a dom Jaime não comprem coroas de flores, mas façam doações em dinheiro para as obras sociais. As doações podem ser feitas na Catedral.

Fonte: CNBB / ARQUIDIOCESE DE MARINGÁ

domingo, 4 de agosto de 2013

Presidente da CNBB faz reflexão sobre o mês vocacional

Agosto: mês vocacional

Cardeal Raymundo Damasceno Assis
Arcebispo de Aparecida (SP) e presidente da CNBB

No Brasil, o mês de agosto é sempre uma oportunidade para que possamos refletir sobre o chamado que Deus nos faz para vivermos de um modo mais concreto a nossa vocação à santidade, que recebemos no dia em que fomos batizados.

Na primeira semana, lembramos a vocação sacerdotal, refletimos sobre a sua importância para a Igreja e rezamos ao Senhor da messe para que envie operários, de modo que não faltem padres para cuidar das mais diversas comunidades espalhadas pelo Brasil.

Em seguida, recordamos a vocação religiosa. Nossa mente se volta para os homens e mulheres que se consagraram a Deus através dos conselhos evangélicos da pobreza, castidade e obediência para viverem em comunidade segundo o carisma de seus fundadores e servirem à Igreja e ao povo de Deus nos mais diferentes serviços, sejam de natureza religiosa ou social. Lembramo-nos também dos missionários e missionárias que deixaram suas terras e foram para os locais mais distantes no serviço do Reino de Deus, anunciando Jesus Cristo aos que ainda não O conhecem.

Há também outra vocação que não pode ser esquecida: a dos fiéis leigos e leigas que, através do exercício de ministérios não ordenados, se fazem presentes nas comunidades eclesiais e no mundo e se dedicam à evangelização na família, no trabalho profissional e no seu ambiente social, para santificar o mundo e fazer com que ele deixe de ser a cidade dos homens para tornar-se a cidade de Deus. Dentre os diferentes ministérios leigos, o último domingo de agosto destaca a catequese, comemorando o dia dos catequistas.

Grandes santos são lembrados neste mês, como: São João Maria Vianney, o Cura D’Ars, padroeiro dos párocos; São Lourenço, padroeiro dos diáconos; Santo Afonso Maria de Ligório, fundador da Congregação dos Missionários Redentoristas; São Tarcísio, padroeiro dos coroinhas; Santa Rosa de Lima, padroeira da América Latina e, de modo especial, nossa Santa Mãe do Céu, Maria Santíssima, que é recordada na solenidade da sua Assunção, nos apontando o feliz destino de todos os que dizem “Sim” a Deus.

O tema vocacional é, de modo especial, voltado para os jovens. É um apelo para que todos procurem ouvir a voz de Deus e dizer sim ao seu chamado para servirem concretamente ao seu Reino.

Rezemos para que a Mãe Aparecida abençoe a Igreja, e, especialmente, os jovens, a fim de que sejam fiéis no seguimento de Jesus Cristo e obedientes ao mandato de seu Fundador e Mestre: “Ide e fazei discípulos meus todos os povos”. O Papa Francisco, em sua homilia da Santa Missa para a 28ª JMJ, afirma: “Não tenham medo! Quando vamos anunciar Cristo, Ele mesmo vai à nossa frente e nos guia. Ao enviar seus discípulos em missão, Jesus prometeu: “Eu estou com vocês todos os dias” (Mt 28,20). E isto é verdade também para nós! Jesus nunca deixa ninguém sozinho! Sempre nos acompanha.”

Fonte: CN e CNBB