sexta-feira, 21 de abril de 2017

Formação Litúrgica

Formação Litúrgica – As Partes da Missa
LITURGIA DA PALAVRA

Profissão de fé
O símbolo ou profissão de fé tem por objetivo levar todo o povo reunido a responder à palavra de Deus anunciada da sagrada Escritura e explicada pela homilia, bem como, proclamando a regra da fé através de fórmula aprovada para o uso litúrgico, recordar e professar os grandes mistérios da fé, antes de iniciar sua celebração na Eucaristia.
O símbolo deve ser cantado ou recitado pelo sacerdote com o povo aos domingos e solenidades; pode-se também dizer em celebrações especiais de caráter mais solene.
Quando cantado, é entoado pelo sacerdote ou, se for oportuno, pelo cantor ou pelo grupo de cantores; é cantado por todo o povo junto, ou pelo povo alternando com o grupo de cantores.
Se não for cantado, será recitado por todos juntos, ou por dois coros alternando entre si.
Oração universal
Na oração universal ou oração dos fiéis, o povo responde de certo modo à palavra de Deus acolhida na fé e exercendo a sua função sacerdotal, eleva preces a Deus pela salvação de todos. Convém que normalmente se faça esta oração nas Missas com o povo, de tal sorte que se reze pela Santa Igreja, pelos governantes, pelos que sofrem necessidades, por todos os seres humanos e pela salvação do mundo inteiro.
Normalmente serão estas as séries de intenções:
a) pelas necessidades da Igreja;
b) pelos poderes públicos e pela salvação de todo o mundo;
c) pelos que sofrem qualquer dificuldade;
d) pela comunidade local.
No entanto, em alguma celebração especial, tal como Confirmação, Matrimônio, Exéquias, as intenções podem referir-se mais estreitamente àquelas circunstâncias.
Cabe ao sacerdote celebrante, de sua cadeira, dirigir a oração. Ele a introduz com breve exortação, convidando os fiéis a rezarem e depois a conclui. As intenções propostas sejam sóbrias, compostas por sábia liberdade e breves palavras e expressem a oração de toda a comunidade.
As intenções são proferidas, do ambão ou de outro lugar apropriado, pelo diácono, pelo cantor, pelo leitor ou por um fiel leigo.
O povo, de pé, exprime a sua súplica, seja por uma invocação comum após as intenções proferidas, seja por uma oração em silêncio.



Congregação para o Culto Divino e a Disciplina dos Sacramentos
 Roma - 2002


terça-feira, 18 de abril de 2017

Conhecendo um pouco mais sobre o Tema da CF 2017


Cuidar da criação de modo especial dos biomas brasileiros, dons de Deus, e promover relações fraternas com a vida e a cultura dos povos à luz do Evangelho é o objetivo geral da Campanha da Fraternidade deste ano que traz o tema – Fraternidade: Biomas Brasileiros e defesa da vida e lema – Cultivar e guardar a criação (Gênesis 2,15).
Biomas são conjuntos de ecossistemas com características semelhantes dispostos em uma mesma região e que historicamente foram influenciados pelos mesmos processos de formação.
No Brasil temos 06 biomas: a Mata Atlântica, a Amazônia, o Cerrado, o Pantanal, a Caatinga e o Pampa. Nesses biomas vivem pessoas, povos, resultantes da imensa miscigenação brasileira. Os biomas brasileiros sofrem interferências negativas desde a chegada dos primeiros colonizadores ao Brasil
A Igreja Católica há algum tempo, tem sido voz profética a respeito da questão ecológica. Neste início do terceiro milênio, ter uma população de mais de 200 milhões de brasileiros, sendo mais de 160 milhões vivendo em cidades gera sérias preocupações. O impacto dessa concentração populacional sobre o meio ambiente produz problemas que põem em risco as riquezas dos biomas brasileiros.
À luz da fé, nos interrogaremos nas reflexões desta Campanha da Fraternidade de 2017 sobre o significado dos desafios apresentados pela situação atual dos biomas e dos povos que neles vivem.
“Precisamos dar as mãos para defender nossos biomas”.


Breve resumo do texto base da Campanha da Fraternidade 2017

sexta-feira, 14 de abril de 2017

Semana Santa


Segundo a tradição da Igreja Católica Romana, a Semana Santa começa com o Domingo de Ramos, quando Jesus entra em Jerusalém e é recebido com folhas de palmeiras. Jesus é recebido em Jerusalém como um rei pelos mesmos que o condenaram à morte. A Semana Santa celebra a Paixão, a Morte e a Ressurreição de Jesus Cristo.
Na manhã da quinta-feira, nas catedrais das dioceses, o bispo se reúne com o clero para a Celebração do Crisma, na qual são abençoados os óleos que serão usados na administração dos sacramentos do BatismoCrisma e Unção dos Enfermos. Com essa celebração se encerra a Quaresma.
À noite, são relembrados os três gestos de Jesus durante a Última Ceia: a Instituição da Eucaristia, o exemplo do Lava-pés, e a Instituição do Sacerdócio.
A igreja fica em vigília ao Santíssimo, relembrando os sofrimentos de Jesus, que tiveram início nesta noite. A Igreja já se reveste de luto e tristeza, desnudando os altares, tudo para simbolizar que Jesus já está preso e consciente do que vai acontecer. Também cobrem-se todas as imagens existentes no templo, com panos de cor roxa.
Na sexta-feira, também conhecida como Sexta-feira da Paixão a Igreja recorda a morte de Jesus. É celebrada a Solene Ação LitúrgicaPaixão e a Adoração da Cruz. A recordação da morte de Jesus consiste em quatro momentos: A Liturgia da Palavra, Oração Universal, Adoração da Cruz e Rito da Comunhão. Presidida por presbítero ou bispo, os paramentos para a celebração são de cor vermelha.
Sábado Santo ou Sábado de Aleluia é o dia da espera. Os cristãos junto ao sepulcro de Jesus aguardam sua ressurreição. No final deste dia é celebrada a Solene Vigília Pascal que se inicia com a Bênção do Fogo Novo e também do Círio Pascal; proclama-se a Páscoa através do canto do Exultet e faz-se a leitura de 8 passagens da Bíblia percorrendo-se toda história da salvação, desde Adão até o relato dos primeiros cristãos. Entoa-se o Glória e o Aleluia, que foram omitidos durante todo o período quaresmal. Há também o batismo daqueles adultos que se prepararam durante toda a quaresma. A celebração se encerra com a Liturgia Eucarística, o ápice de todas as missas.
Domingo de Páscoa é o dia mais importante para a fé cristã, pois Jesus vence a morte para mostrar o valor da vida. Esse dia é estendido por mais cinquenta dias até o Domingo de Pentecostes.
A Igreja pede que viva-se cada momento desse período com afinco e dedicação para como cristãos celebrar a Páscoa com/de Jesus.


segunda-feira, 10 de abril de 2017

Programação de Semana Santa 2017





Dia 11 de abril (terça-feira) - 09:00h - Missa dos Santos Óleos – Guarabira. 

Dia 11 de abril (Terça-feira) às 19:00h – Grande Via Sacra:

I- PAST. DO BATISMO-(Côca Rua do Comércio) 

II- OFS- (D. Maria Lagoa-Rua Alfredo Chaves Lagoa) 

III- APOSTOLOADO (D. Maroquinha- Rua Alfredo Chaves Lagoa) 

IV- PAST. DO DÌZIMO (Jane- Rua José Batista Chaves) V- PAST. DA CRIANÇA (Penha- Rua Antonia Coelho) 

VI- ECC –(Fatinha de Aroldo-Rua Presidente Kenedy) 

VII-LITURGIA-(Lagoa-Rua João Vieira) 

VIII- MINISTROS-(D. Nénem –Rua 7 de setembro) 

IX- TERÇO DOS HOMENS-(Nego Ferreira – Rua 7 de setembro) 

X- MÃE RAINHA-(D. Elvira- Rua 7 de Setembro) 

XI- CDMD- (Salão de Zuleide - Rua 13 de maio) 

XII- COROINHAS-(D. Menininha-Rua Manoel Gonçalves) 

XIII- PAST. DA SOBRIEDADE(Guia- Rua Manoel Gonçalves) 

XIV- PAST. DA SAÚDE(Agência de ônibus- Rua São Sebastião) 

XV – CATEQUESE-Igreja Matriz 

Responsável pela localização das estações: Coroinhas 

Dia 12 de abril (quarta-feira) às 09:00h – MISSA DOS ENFERMOS na Igreja Matriz. Responsável Equipe de Liturgia 

Dia 12 de abril (Quarta-feira) às 18:30h – PROCISSÃO DO ENCONTRO. Saída da imagem de Nossa Senhora das Dores da Capela Santo Antônio, responsáveis pela procissão: Mulheres. Saída da imagem do Senhor dos Passos: Capela São Pedro, responsáveis pela procissão: Homens Logo após CELEBRAÇÃO PENITENCIAL – Igreja Matriz. Responsável: Liturgia. 


CELEBRAÇÕES DO TRÍDUO PASCAL

Dia 13 de abril (quinta-feira) 17:00h – MISSA DA CEIA DO SENHOR – Igreja Matriz. Após Santa Missa ADORAÇÃO AO SANTÍSSIMO SACRAMENTO até a meia noite. 


GRUPOS RESPONSÁVEIS: 

19:00h – Past. do Dízimo, Past. da Criança, Liturgia, Catequese e Terço com as crianças. 

20:00h – Past. Familiar, Mãe Rainha, Mensageiros da Paz e Past. do Batismo 

21:00h – Apostolado da oração, Ministros Extraordinários da Eucaristia e Pastoral da Saúde. 

22:00h – Terço dos Homens, Pastoral da Sobriedade, ECC e Terço com as Mulheres. 

23:00h –Catequese de Crisma, EJC e CDMD. 

00:00h- PROCISSÃO DO SILÊNCIO com o Santíssimo Sacramento para a Capela Santa Clara ( Casa da Comunidade Doce Mãe de Deus), à Rua São Bernardo ,60.

ESTAÇÕES DA VIA SACRA: (Após a Procissão do Silêncio)

I-CDMD (Capela Santa Clara - CDMD)

II- MINISTROS (CRAS)

III-LITURGIA (Serviço de Convivência - SCVF)

IV-PASTORAL DO DÍZIMO (Lagoa)

V- ECC (Anali –R. São Pedro)

VI- TERÇO DOS HOMENS (D. Maria de Bino - R. São Pedro )

VII- APOSTOLADO DA ORAÇÃO (Bento - R. São Pedro )

VIII- MÃE RAINHA (Zarinha de Carlinhos – R. São Pedro )

IX-CATEQUESE (D. Adelita- R. São Pedro)

X-FRANCISCANOS (Gilvan Rufino-R. São Pedro)

XI- PASTORAL DA SOBRIEDADE- (Ramo Soldado - Bairro Novo)

XII-PASTORAL DA CRIANÇA- (Dão Bombeiro - Bairro Novo)

XIII-PASTORAL DA SAÚDE (Larissa - Bairro Novo)

XIV- PASTORAL FAMILIAR (D. Nice - R. Miguel Pereira)

XIV - IAM E TERÇO DAS CRIANÇAS (Casa Franciscana)

14 de abril (Sexta-feira) 12:00h – OFÍCIO DA AGONIA – Igreja Matriz – Responsável: Equipe de Liturgia

15:00h – CELEBRAÇÃO DA PAIXÃO DO SENHOR – Igreja Matriz e PROCISSÃO DO SENHOR MORTO. Percurso da Procissão: Rua São Sebastião, Travessa São Sebasti ão, Rua Maria Joana, Rua Adiel Martins, Rua São Sebastião e Igreja.

15 de abril SÁBADO SANTO 19:00h – VIGÍLIA PASCAL – Igreja Matriz. Equipe de Liturgia

16 de abril DOMINGO DE PÁSCOA - 17:30h SANTA MISSA - Igreja Matriz

domingo, 26 de março de 2017

Animadores da Paróquia de São Sebastião participam de Retiro Espiritual

            

No último dia 25 de março – Solenidade da anunciação do Senhor - trinta e oito (38) animadores, da Paróquia de São Sebastião - Lagoa de Dentro - PB, vivenciaram um dia espiritual com o exercício da Leitura orante da palavra de Deus.
Os seminaristas Elói, Rafael e Mateus, - consagrados da Comunidade Doce Mãe de Deus - conduziram a colactio, partindo do trecho do Evangelho que retrata as tentações que Jesus sofreu no deserto, passando pela transfiguração do Senhor, e chegando ao cume no poço de Jacó, contemplando o grande diálogo de Jesus com a samaritana.
Ao meio dia, o Padre José André presidiu o Banquete Eucarístico e ressaltou em sua homilia a importância do Sim da Virgem Maria e do sim de cada leigo missionário(a).  
As atividades espirituais foram concluídas no final da tarde com um momento de adoração ao Amado de nossas Almas. Ele que sempre sacia a nossa sede e espera que seus seguidores tenham três características dos apóstolos Pedro João e Tiago: a ousadia de quem ama, a confiança de quem se  sente amado  a consciência  de que a resposta de quem ama tem o preço da doação da vida.

Mazé  Andrade -CDMD










segunda-feira, 20 de março de 2017

Devoção a São José


Março é o mês da devoção a São José, porque a sua festa maior é no dia 19 de março: São José, o esposo da Virgem; o homem justo que teve a honra e a glória de ser escolhido por Deus para ser o pai legal, nutrício, de Seu Filho feito homem. Coube a José dar-lhe o nome de Jesus.
Neste mês a Igreja nos convida a olhar para este modelo de pai amoroso, esposo fiel e casto, trabalhador dedicado; pronto a fazer, sem demora a vontade de Deus. A Igreja lhe presta um culto de “protodulia” (primeira veneração).
Há muitas orações dedicadas a São José, a Ladainha em sua honra, o Terço de São José, etc.. Santa Teresa de Ávila disse que sempre que lhe fazia um pedido a São José, em uma de suas festas (19 de março ou 1 de maio), nunca deixou de ser atendida. Todos os seus Carmelos renovados tiveram o nome de São José.
Fonte: Prof. Felipe Aquino